A Nave Pousada e Camping - Itaúnas - Conceição da Barra - ES

A Vila

A VILA - Os primeiros habitantes deste magnífico paraíso foram os índios tupiniquins, depois vieram em meados do século 18 os portugueses, também os espanhóis e por fim os negros quilombolas. Desse mesclado formou-se uma interessante alquimia inter-racial.

A região nas décadas de 40 e 50 viveu um rico ciclo de exploração comercial madeireiro, dada à imensa diversidade de madeiras nobres da mata atlântica, como o jacarandá, jequitibá, macanaíba, vinhático entre muitas outras. Transformou-se também em um importante entreposto na produção em larga escala da farinha de mandioca.

A antiga vila que era a beira mar foi soterrada pelas areias a partir de meados dos anos 50. Memórias vivas de antigos moradores contam que, a ultima família a sair do local foi mais ou menos em 1962.

Muitas lendas e superstições justificam a tragédia, uma entre elas diz que foi o assassinato de um dos filhos de um velho curandeiro, que, por vingança, a ira de sua maldição atraiu as areias, causando assim o lento desaparecimento da vila.

Mas a verdadeira causa foi por conta do desenvolvimento e crescimento, fragilizando assim o eco sistema da restinga, vegetação natural do entorno da vila, e com o desmatamento da mesma quebrou-se a resistência, favorecendo assim a ação dos fortes ventos. No verão, com o vento nordeste e no inverno com o vento sul, e assim lentamente a areia veio se aproximando , soterrando tudo e obrigando o povo a se transferir para a outra margem do rio itaúnas onde hoje se encontra a nova vila.

Em 1991 o governo do estado através do departamento estadual de cultura tombou as "Dunas de Itaúnas" como patrimônio paisagístico e histórico, pela sua beleza e sua exuberante riqueza natural, bem como pelo seu inestimável valor arqueológico.

A transformação das dunas em "APP" (área de preservação permanente) vem perpetuar à conservação dos diversos ecos sistemas da região, como os manguezais, alagados, as dunas, a restinga as praias e o pouco que restou da mata atlântica, garantindo assim para nós e às futuras gerações esse imenso privilégio.

TRADIÇÃO - São Sebastião é o Padroeiro da vila de Itaúnas. Todos os anos, no dia 20 de janeiro, o santo é festejado, em uma grande festa de Cultura Popular.
Nesta data os festejos reúnem os mais variados e tradicionais Folclores do Estado do Espírito Santo, como o Ticumbí de São Benedito (Ópera popular), o Alardo (guerra entre os Mouros e Cristãos), o Jongo (dança ritual em forma de mandala, onde o grupo dança e canta uma espécie de mantra ao som de tambores primitivos que levam seus integrantes a um êxtase).
Também tem a tradicional Capoeira, herdada da grande influencia da colonização negra.

CALENDÁRIO
São Sebastião. (Janeiro).
Festival da Paella. (Sábado após o carnaval).
Patada do Claudio. (Maio – na Costa Dourada).
Eco Bike. (Junho).
FENFIT - Festival Nacional de Forró. (Julho).
Santa Clara (Agosto – no Angelim).

Confira as fotos

Rua Ítalo Vasconcelos, s/n | Cx.Postal 60 | CEP 29965-099 | Itaúnas - Conceição da Barra - ES
(27) 3762-5102 (Fixo) | (27) 99988-8484 (Vivo) | (27) 98109-8411 (Tim) | MSN: julio.nave@hotmail.com

A Nave